★ Home & Health ★ Reabilitação

Fevereiro 20 2012

Os próximos posts serão referentes a testes especiais.

São testes específicos que podem ajudar a detectar ou confirmar um diagnóstico, e assim, indicar o melhor tratamento.

O primeiro post será somente de ombro, já que é uma articulação que envolve vários movimentos: flexão, extensão, abdução, adução, rotação interna e externa. 

O ombro é uma articulação bem complexa pois sua estabilização depende de vários músculos e o equilíbrio entre eles.

Vamos pensar um pouco na anatomia do ombro, para entedermos melhor o conteúdo.

 

 

 

A estabilização dessa articulação depende da músculatura devido à área de contato entre o úmero e a cavidade glenóide (articulação glenoumeral), ou seja, somente uma parte da cabeça do úmero encontra-se em contato com a cavidade glenóide. É uma articulação sinovial tipo esferóide.

 

Esse pequeno contato é o que permite ao ombro tantos movimentos.

 

As grandes amplitudes de movimento na abdução ou flexão do ombro e a cabeça do úmero em contato com a cavidade glenóide só são possíveis por causa dos movimentos artrocinemáticos de: deslizamento, rolamento e rotação, ao fazer a abdução a cabeça do úmero faz um rolamento, se existisse só esse movimento ocorreria uma luxação, deslizamento para baixo mantendo o contato com a cavidade glenóide, e a rotação lateral necessária para livrar o acrômio do tubérculo maior.

 

 

AGORA SIM, VAMOS AOS TESTES:

 

- Teste de Speed: braço em flexão, com antebraço estendido e supinado; colocar o dedo de uma das mãos sobre o sulco bicipital, e a mão oposta sobre o punho do paciente; paciente deve elevar o braço contra resistência. Testa o tendão do bíceps no sulco bicipital. Dor espontânea ou a palpação é indicadora de tendinite bicipital.

- Teste do S.E: braço em flexão de 90 graus, com pronação do antebraço. O paciente deve fazer a flexão do braço contra resistência. Testa o tendão do supra espinhoso. Dor na inserção do tendão S.E. pode indicar tendinite.

- Teste de Apreensão Anterior: paciente sentado; terapeuta atrás do paciente; abduzir a 90o e rodar externamente o braço afetado. A rot. ext. do braço predispõe o úmero a luxar anteriormente. Dor localizado indica uma luxação anterior crônica do ombro. Ele testa a integridade do ligamento glenoumeral inferior, da cápsula anterior, dos tendões do manguito rotador e do lábio glenóide.

- Teste de Apreensão Posterior: paciente em DD; flexionar para frente e rodar externamente o ombro; o terapeuta deve aplicar pressão posterior no cotovelo do paciente. Dor ou desconforto localizado indicam uma instabilidade glenoumeral posterior.

- Teste de Wright: com o paciente sentado, verificar o pulso radial por 1min. Hiperabduzir o braço e verificar novamente o pulso. A diminuição ou ausência da amplitude do pulso radial, indica uma compressão da artéria e veia axilares por um m. peitoral menor espástico ou hipertrofiado, ou por um processo coracóide deformado, pois esta artéria passa por baixo do P. Me., no processo coracóide (síndrome do desfiladeiro torácico).

 

Teste de Jobe: o paciente faz elevação ativa do membro superior (no plano da escápula) em extensão e rotação interna contra a resistência oposta pelo examinador, posição que sensibiliza a tensão exercida no tendão do supra-espinhal; a resposta poderá ser apenas dor na face antero-lateral do acompanhada ou não de diminuição de força ou mesmo da incapacidade de elevar o membro superior indicando desde tendinites até roturas completas do tendão.

 

Teste do Subescapular de Gerber: o paciente coloca o dorso da mão ao nível de L5 e procura ativamente afastá-la das costas rodando internamente o braço, a incapacidade de faze-lo ou de manter o afastamento, se feito passivamente pelo examinador, indica grave lesão do subescapular.

 

- Teste da Instabilidade Posterior: o examinador faz a adução, flexão e rotação interna passiva do braço do paciente procurando deslocar posteriormente a cabeça do úmero; quando há instabilidade posterior a cabeça do úmero resvala na borda posterior da glenóide e subluxa.

 

 

Próximo post: Testes especiais para cotovelo, punho e dedos.

 

 

Talita Castelani

Fisioterapeuta - Coordenadora Geral

Equipe Home & Health Reabilitação

 

 

 

publicado por Equipe Home and Health Reabilitação às 03:36

esta faltando alguns testes! são uns 20 e soh tem 8....
Bella a 14 de Maio de 2012 às 18:25

Olá Bella,
Realmente estão faltando muitos testes, porém selecionei os que são mais usados, se quiser pode fazer uma publicação sua e postamos aqui com o seu nome e contato.
Não precisa ser especificamente sobre este assunto, pode ser qualquer outro tema.
Colabore com a nossa equipe e tenha seu nome divulgado aqui.
Obrigado pela observação.
Mande sua matéria para talitacastelani@sapo.pt
Bem vinda ao Blog, curta nossa página no Facebook.

Volte sempre,

Blog destinado a profissionais e pacientes, com dicas e propostas de tratamentos com base teórico-científico. Deixe sua dúvida ou sugestão. VISITEM AS NOVAS PÁGINAS NAS CATEGORIAS ABAIXO.
CATEGORIAS HOME & HEALTH:
Fisio Respiratória
Fisio em Cardiologia
mais sobre mim
SIGA-ME:
Fevereiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
21
22
23
24
25

26
27
28
29


pesquisar
 
FAN PAGE:
Visitantes:
hospedagem
blogs SAPO