★ Home & Health ★ Reabilitação

Agosto 15 2011

A Síndrome do Imobilismo é comum em idosos, e consiste no estado em que o indivíduo vivencia limitações físicas do movimento, decorrente de um desequilíbrio entre repouso e atividade física, ou seja, alterações que ocorrem no indivíduo que se encontra acamado há um longo período de tempo. De 12 a 15 dias acamado já é considerado imobilismo.

Os efeitos da imobilização são definidos como uma redução na capacidade funcional dos sistemas cardiorespiratório, vascular, endócrino, gastrointestinais, urinário, muscular, esquelético e neurológico. Sendo que estas complicações podem ser aumentadas dependendo dos fatores pré existentes de cada paciente.

O imobilismo, por si só, é uma causa de morbidade no idoso, sendo que completo imobilismo pode levar a perda de 5 a 6% de massa muscular e de força por dia.

Essa Síndrome pode ser causada por diversos fatores, como psicológicos (depressão, demência, medo de quedas), sociais (isolamento social, restrição física, falta de estímulo) e físicos (osteoporose, fraqueza muscular, insuficiência venos), ou mesmo quando a pessoa idosa precisa ficar imobilizada, devido uma queda, resultando em uma fratura.

O repouso beneficia a região lesada, mas seu prolongamento prejudica o resto do organismo. É identificada em casos de déficit cognitivo de médio a grave, multiplas contraturas, e também, em critério menor, quando observa-se sinais de sofrimento cutâneo ou ulceras de pressão, disfagia leve a grave, dupla incontinência ou afasia.

 

 

Os cuidados com o idoso acamado consistem em:

 

1 - Estimulação da mobilidade;

2 - Evitar restrição ao leito;

3 - cuidado com o toque (firmeza mas sem machucá-lo);

4 - Diminuir a dor e o desconforto;

5 - Realizar trocas posturais constantes;

6 - Posicionar corretamente com o uso de coxins;

7 - Quando possível, peça ajuda a outra pessoa;

8 - Não alimente o idoso deitado e nem com extensão ou rotação do pescoço;

9 - Caso o idoso esteja esgasgando, sente-o, e evite alimentos mais líquidos;

10 - Evite a posição em flexão das articulações;

11 - Faça mobilizações articulares constantes;

12 - Trocas constantes de fraldas;

13 - Manter a pele sempre seca e hidratada;

14 - Deixar os lençóis sempre esticados e sem restos alimentares;

15 - Não fazer fricção durante as transferências;

16 - Evitar o cisalhamento;

17 - Hidrate-o sempre.

 

 

Tratamento Fisioterapêutico:

 

- Estimular a movimentação no leito e a independência nas atividades.

- Estimular a deambulação (caminhada).

- Prevenir complicações pulmonares.

- Auxiliar na resolução de patologias pulmonares já instaladas.

- Promover um padrão respiratório mais eficaz.

- Evitar complicações circulatórias.

- Reduzir a dor.

- Manter força muscular e a amplitude de movimentos com exercícios. Ex: Isômetricos, metabólicos, ativo-resistidos e passivos.

- Evitar encurtamentos musculares, atrofias e contraturas.

- Melhorar mobilidade e flexibilidade, coordenação e habilidade.

- Promover relaxamento.

- Prevenir e tratar o edema (inchaço) que pode ocorrer como conseqüência da patologia de cirurgias ou da imobilização no leito.

- Promover a reeducação postural.

- Promover a conscientização corporal. 

 

 

 

Talita Castelani

Coordenadora Geral

Equipe Home & Health Reabilitação


publicado por Equipe Home and Health Reabilitação às 00:50

Blog destinado a profissionais e pacientes, com dicas e propostas de tratamentos com base teórico-científico. Deixe sua dúvida ou sugestão. VISITEM AS NOVAS PÁGINAS NAS CATEGORIAS ABAIXO.
CATEGORIAS HOME & HEALTH:
Fisio Respiratória
Fisio em Cardiologia
mais sobre mim
SIGA-ME:
Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


pesquisar
 
FAN PAGE:
Visitantes:
hospedagem
blogs SAPO