★ Home & Health ★ Reabilitação

Agosto 21 2011

O envelhecimento populacional, está cada vez maior, e isso requer um planejamento da saúde pública, para  minimizar o impacto das doenças crônicas, o declínio funcional, o grau de dependência e a qualidade de vida.

  

Verificaram que os idosos que tinham a capacidade funcional preservada e os que tinham fragilidade em fases iniciais, são os mais beneficiados com programas para melhorar a diminuição da capacidade funcional, em relação à idade os idosos entre 65 e 75 anos, teriam um beneficio maior.

 

Campbell & Buchner definem a fragilidade como uma redução na capacidade do indivíduo em lidar com os agentes estressores, em quatro áreas essenciais: função músculoesquelética, capacidade aeróbica, cognição e estado nutricional.

 

Por ordem de importância, os fatores relacionados à fragilidade são:

- Mobilidade

- Equilíbrio

- Estado Nutricional

- Força Muscular

- Nível de Atividade Física

 

Fried et al., definiram a síndrome de fragilidade quando estão presentes pelo menos 3 das 5 características:

-  Perda de peso inexplicável

-  Fadiga

-  Fraqueza Muscular

-  Redução na resistência Muscular ou Endurance

-  Baixo nível de capacidade Física

  

Van Kan et al., criaram uma escala de fragilidade,  (“frail” = frágil):

Fatigue - (sensação de fadiga predominando na maior parte do tempo)

Resistance - (habilidade para subir um lance de escadas)

Ambulation - (habilidade para caminhar uma quadra)

Illnesses - (presença de cinco comorbidades ou mais)

Loss of Weight - (perda de peso corporal maior  que 5%)

 

A Síndrome da Fragilidade pode ser desencadeada devido a instalação de uma doença, —falta de atividade, —baixa ingestão de dieta, —por estresse, perda de massa e força muscular (sarcopenia - imagem abaixo), —disfunções inflamatórias, neuroendócrinas, alteração na regulação de energia.

 

 

O envelhecimento possui o bom e o mau prognóstico:

 

- O bom prognóstico dependerá de uma boa acuidade visual, ausência de quedas, exercícios regulares, ingestão de alimentos adequados, afeto positivo e sono regular.

 

- O mau prognóstico acontece quando existe o baixo peso ou a obesidade, tabagismo, depressão, isolamento e uso excessivo de álcool.

 

A fragilidade no envelhecimento é um conceito que ainda está sendo construído, por envolver vários fatores: biológicos,  psicológicos e sociais, que vai indicar a condição dos idosos com elevado risco de quedas, hospitalização, incapacidade, institucionalização e morte.

 

A Intervenção Terapêutica consiste em um programa de treinamento de exercício físico resistido que pode aumentar a força e a massa muscular de indivíduos idosos frágeis, sobretudo quando é associada à uma alimentação que atenda às necessidades de cada indivíduo, melhora seu estado nutricional e impede que ocorra a diminuição de proteína corporal.

 

Joyce Cunha e Thiciana Visentini

Colaboradoras

Equipe Home & Health Reabilitação

publicado por Equipe Home and Health Reabilitação às 20:57

Agosto 15 2011

A Síndrome do Imobilismo é comum em idosos, e consiste no estado em que o indivíduo vivencia limitações físicas do movimento, decorrente de um desequilíbrio entre repouso e atividade física, ou seja, alterações que ocorrem no indivíduo que se encontra acamado há um longo período de tempo. De 12 a 15 dias acamado já é considerado imobilismo.

Os efeitos da imobilização são definidos como uma redução na capacidade funcional dos sistemas cardiorespiratório, vascular, endócrino, gastrointestinais, urinário, muscular, esquelético e neurológico. Sendo que estas complicações podem ser aumentadas dependendo dos fatores pré existentes de cada paciente.

O imobilismo, por si só, é uma causa de morbidade no idoso, sendo que completo imobilismo pode levar a perda de 5 a 6% de massa muscular e de força por dia.

Essa Síndrome pode ser causada por diversos fatores, como psicológicos (depressão, demência, medo de quedas), sociais (isolamento social, restrição física, falta de estímulo) e físicos (osteoporose, fraqueza muscular, insuficiência venos), ou mesmo quando a pessoa idosa precisa ficar imobilizada, devido uma queda, resultando em uma fratura.

O repouso beneficia a região lesada, mas seu prolongamento prejudica o resto do organismo. É identificada em casos de déficit cognitivo de médio a grave, multiplas contraturas, e também, em critério menor, quando observa-se sinais de sofrimento cutâneo ou ulceras de pressão, disfagia leve a grave, dupla incontinência ou afasia.

 

 

Os cuidados com o idoso acamado consistem em:

 

1 - Estimulação da mobilidade;

2 - Evitar restrição ao leito;

3 - cuidado com o toque (firmeza mas sem machucá-lo);

4 - Diminuir a dor e o desconforto;

5 - Realizar trocas posturais constantes;

6 - Posicionar corretamente com o uso de coxins;

7 - Quando possível, peça ajuda a outra pessoa;

8 - Não alimente o idoso deitado e nem com extensão ou rotação do pescoço;

9 - Caso o idoso esteja esgasgando, sente-o, e evite alimentos mais líquidos;

10 - Evite a posição em flexão das articulações;

11 - Faça mobilizações articulares constantes;

12 - Trocas constantes de fraldas;

13 - Manter a pele sempre seca e hidratada;

14 - Deixar os lençóis sempre esticados e sem restos alimentares;

15 - Não fazer fricção durante as transferências;

16 - Evitar o cisalhamento;

17 - Hidrate-o sempre.

 

 

Tratamento Fisioterapêutico:

 

- Estimular a movimentação no leito e a independência nas atividades.

- Estimular a deambulação (caminhada).

- Prevenir complicações pulmonares.

- Auxiliar na resolução de patologias pulmonares já instaladas.

- Promover um padrão respiratório mais eficaz.

- Evitar complicações circulatórias.

- Reduzir a dor.

- Manter força muscular e a amplitude de movimentos com exercícios. Ex: Isômetricos, metabólicos, ativo-resistidos e passivos.

- Evitar encurtamentos musculares, atrofias e contraturas.

- Melhorar mobilidade e flexibilidade, coordenação e habilidade.

- Promover relaxamento.

- Prevenir e tratar o edema (inchaço) que pode ocorrer como conseqüência da patologia de cirurgias ou da imobilização no leito.

- Promover a reeducação postural.

- Promover a conscientização corporal. 

 

 

 

Talita Castelani

Coordenadora Geral

Equipe Home & Health Reabilitação


publicado por Equipe Home and Health Reabilitação às 00:50

Agosto 05 2011

O edema é o acúmulo anormal de líquido no espaço intersticial. Ele é constituído por uma solução aquosa de sais e proteínas do plasma, cuja exata composição varia com a causa do edema. Quando o líquido se acumula em todo o corpo, caracteriza-se o edema generalizado. Quando ocorre em locais determinados o edema é localizado, como por exemplo o edema nas pernas de pessoas com varizes.

 

Quando ocorre uma inflamação, os vasos sanguíneos ficam mais permeáveis para facilitar a chegada das células de defesa ao local da infecção ou trauma. Com o alargamento dos poros, há um maior extravasamento de líquidos para os tecidos ao redor.

 

Existem três tipos de edema: o edema comum, o linfedema e o mixedema.

 

- O edema comum é composto de água e sal, quase sempre é generalizado.

 

- O linfedema é o edema cuja formação deve-se ao acúmulo de linfa. Ele ocorre nos casos em que os canais linfáticos estão obstruídos ou foram destruídos, como nas retiradas de gânglios na cirurgia de câncer do seio. O esvaziamento ganglionar facilita o surgimento do edema no braço. Outro exemplo de linfedema é a elefantíase, que se acompanha de grande deformação dos membros inferiores.

O mixedema é outro tipo de edema de características especiais por ser duro e com aspecto da pele opaca, ocorrendo nos casos de hipotireoidismo.

 

- No mixedema, além da água e sais, há acúmulo de proteínas especiais produzidas no hipotireoidismo.

 

Quando há um aumento de líquidos no espaço intersticial, é possível utilizar o sinal de Goted para a avaliação do linfedema (também chamado de cacifo). Este sinal é observado pela compressão da área edemaciada; quando comprimida a região (geralmente com o polegar), a área permanece deprimida por alguns segundos. A demora no retorno da área comprimida (acima de 5 segundos) identifica o edema. Porém, em casos de linfedema crônico não é possível observar o cacifo. Isto ocorre, pois, o excesso de líquidos no interstício, bem como a estase deste fluxo por períodos prolongados favorece a formação de um processo inflamatório, gerando assim, formação de fibrose no tecido conjuntivo intersticial afetado. Portanto, em geral, os edemas crônicos são “duros”, ou seja, o tecido não se deprime à pressão do dedo, é o edema sem cacifo.

 

 

O edema se apresenta sob duas formas: localizado e generalizado.

 

O linfedema e o mixedema são localizados. O edema comum pode se apresentar sob as duas formas. Quando generalizado, espalha-se por todo o corpo, principalmente membros, face e mãos. O edema generalizado pode ocorrer dentro do abdômen (ascite) e dentro do pulmão (edema pulmonar ou derrame pleural).

 

Qualquer tipo de edema, em qualquer localização, diminui a velocidade de circulação do sangue e, por esse meio mecânico (pressão), prejudica a nutrição e a eficiência dos tecidos.

 

Clinicamente, o edema pode ser um sinal de doença cardíaca, hepática, renal, desnutrição grave, hipotireoidismo, obstrução venosa e linfática.

 

Na formação do edema, essas doenças desencadeiam várias alterações que têm como conseqüência o edema. Cada uma dessas doenças tem suas características e as pessoas apresentam queixas especiais.

 

Talita Castelani

Coordenadora Geral

Equipe Home & Health Reabilitação


publicado por Equipe Home and Health Reabilitação às 15:29

Agosto 04 2011

Esse post foi escrito apenas para elucidar alguns pontos importantes sobre sistema linfático pois o próximo post será sobre edema.

 

O sistema linfático é uma via acessória da circulação sangüínea, permitindo que os líquidos dos espaços intersticiais possam fluir para o sangue sob a forma de linfa (do latim - água nascente/pura). Os vasos linfáticos podem transportar proteínas e mesmo partículas grandes que não poderiam ser removidas dos espaços teciduais pelos capilares sangüíneos. 

 

Essa remoção das proteínas dos espaços intersticiais é uma função essencial, sem a qual morrêramos dentro de 24 horas.

 

A linfa corresponde ao líquido intersticial que circula dentro dos linfáticos, tem composição quase idêntica a do plasma.

 

A concentração de proteínas da linfa, gira em torno de 2 a 6%, dependendo da parte do corpo. O sistema linfático também representa uma das principais vias de absorção dos nutrientes, através dos vasos linfáticos intestinais, nesse processo, também podem ser absorvidas bactérias e partículas maiores.

 

Esse problema é resolvido, a medida que a linfa passa através de linfonodos interpostos no trajeto dos vasos linfáticos, onde essas partículas e bactérias são bloqueadas e destruídas.

 

Ao contrário do que se possa imaginar, os nossos vasos sanguíneos não são impermeáveis e apresentam poros que permitem a saída e entrada de células, bactérias, proteínas e água.

publicado por Equipe Home and Health Reabilitação às 01:05

Blog destinado a profissionais e pacientes, com dicas e propostas de tratamentos com base teórico-científico. Deixe sua dúvida ou sugestão. VISITEM AS NOVAS PÁGINAS NAS CATEGORIAS ABAIXO.
CATEGORIAS HOME & HEALTH:
Fisio Respiratória
Fisio em Cardiologia
mais sobre mim
SIGA-ME:
Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


pesquisar
 
FAN PAGE:
Visitantes:
hospedagem
subscrever feeds
blogs SAPO